Notícias Fecomercio

23 de novembro de 2017

Energia elétrica contribui para alta na prévia da inflação de novembro


IPCA-15 aponta alta de 0,32% na prévia; acumulado de 2017 está em 2,58%

O reajuste na tarifa da energia elétrica residencial foi um dos fatores que contribuíram para a alta de 0,32% na prévia da inflação, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), de novembro, divulgado nesta quinta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O acumulado de 2017 está em 2,58%, enquanto o dos últimos 12 meses foi de 2,77%.

A energia elétrica foi o item com maior impacto individual (0,16 p.p.) no índice de novembro devido à adoção do patamar 2 da bandeira vermelha a partir de 1º de novembro, de R$ 3,50 para R$ 5 para cada 100 kwh consumidos. De acordo com o índice, a variação no custo da energia elétrica residencial no País foi de 4,42% no período, enquanto o grupo do qual faz parte, Habitação, teve alta de 1,33%.

No grupo Habitação, o gás de botijão teve variação de 3,30% por causa do reajuste promovido pela Petrobras no preço dos botijões de 13kg nas refinarias deixando o produto 4,5% mais caro, na média, a partir de 5 de novembro.

Voltar para Notícias